Afinal, quanto a quadrilha que assaltou a Prosegur em Eunápolis levou?

Moradores de um condomínio de classe média alta distante do local do ocorrido chegaram a pensar se tratar do retorno do prefeito afastado Roberio Oliveira e o barulho seriam fogos em comemoração, mas, um vizinho captou algo mais grave: “É tiro!”. E era. Tiro de fuzis 762 e 556 e metralhadoras ponto 50. Além disso, usaram, também, outros arsenais de guerra, como granadas e explosivos, para tentar acesso ao cofre da Prosegur em Eunápolis, na madrugada de ontem (6\3). O maior saldo negativo foi o segurança morto e os cinco funcionários, que estavam contando dinheiro na tesouraria, feridos, alguns tão gravemente que foram encaminhados para Salvador.

Os criminosos, estima-se 40 homens, esperavam muito, a exemplo do mega-assalto, em 2016, a Prosegur de Ribeirão Preto\SP, quando, o bairro em que ficava o prédio da empresa ficou às escuras depois que a quadrilha atirou em um transformador de energia. Com o auxílio de lanternas, parte do grupo correu em direção ao cofre da empresa, enquanto o restante deu apoio do lado de fora. O prédio ficou totalmente destruído, e também foram usados fuzis e metralhadoras ponto 50. A Prosegur, à época, não divulgou valores – parece ser política da empresa –, mas, a estimativa é que a quadrilha levou R$ 50 milhões.

Foto: reprodução WhatsApp

Mas, sobre o caso em Eunápolis, não se sabe nem o valor que estaria no cofre, o desejado pelos bandidos. Acredita-se, apenas, que para montarem uma megaoperação destas, não esperavam pouco. Valores? 50 milhões. Um milhão. 100 mil reais? Os pontos obscuros do assalto cinematográfico a Prosegur, em Eunápolis, estão muito além do valor (que não é nem citado pela assessoria de comunicação da empresa).

Tudo que sabe sobre o dinheiro é que, caso o bando, de 40 homens, tenha levado apenas um milhão ou 100 mil reais – informações circulando em alguns sites –, é possível que nem o gasto que tiveram com armamento, explosivos, carros e tudo mais foi conseguido. Os criminosos ficaram, assim, no prejuízo; se analisarmos os fatos sob o viés econômico.

Na manhã de hoje (7\3), alguns veículos de porte foram encontrados abandonados em um matagal no distrito de Barrolândia, no município de Belmonte, cerca de 70 quilômetros do local do crime. Todos os carros cobertos com um material verde e com folhas em cima, uma espécie de camuflagem para dificultar a localização.

Especulação

Especula-se que os criminosos usaram até lancha na fuga. Onde eles estão, agora? Longe? Em Eunápolis, tomando café e zombando da sociedade? Ou, como na série, o “professor”, agora, tenta uma maneira de reduzir os danos de um mega-assalto, talvez, pouco rentável.

Confira a matéria relacionada: http://www.extremus21.com.br/bahia/assalto-a-prosegur-de-eunapolis-teve-plano-estilo-la-casa-de-papel/

Foto: reprodução WhatsApp

Comentários

Ir ao topo da página