Hoje é sexta-feira (13): Temer no Peru, Eunício no Japão e Maia no Panamá. Sobrou pra Cármen Lúcia

Foto: reprodução.

Justiça Federal não sabe o paradeiro de Dalva Sele Paiva, presidente do Instituto Brasil e pivô do caso que ficou conhecido como Mensalinho baiano. Na reta final da campanha eleitoral de 2014, Dalva lançou na imprensa nacional denúncia contra petistas baianos.

Na ocasião, a presidente do Instituto Brasil acusou de desvio de recursos públicos políticos baianos como os deputados federais Afonso Florence (PT), Nelson Pelegrino (PT), o senador Walter Pinheiro (ex-PT), o então candidato ao governo Rui Costa (PT) e servidores da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur). Segundo a denunciante, dinheiro foi desviado do Fundo de Combate à Pobreza para campanhas dos petistas.

Diante das acusações, o deputado Afonso Florence acionou a Justiça Federal acusando Dalva Sele de crime de calúnia, injúria e difamação.

Na tramitação do processo, a Justiça não conseguiu localizar Dalva para notificá-la. No diário Oficial da Justiça Federal, foi publicado o edital de intimação e citação para que a responsável pelas denúncias responda à acusação por escrito no prazo de 10 dias. O edital é assinado pelo juiz federal substituto da 2ª Vara Especializada Criminal, Fábio Roque da Silva Araújo.

Comentários

Ir ao topo da página