Irmão Lázaro e/ou Jutahy. DEM pede ajuda a Alckmin

SALVADOR – Lideranças do DEM da Bahia, incluindo o pré-candidato do partido ao governo do Estado, José Ronaldo, têm telefonado para o pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, pedindo ajuda para resolver o impasse que emperra a formação da chapa oposicionista que tentará desbancar o governador Rui Costa ( PT), que tentará se reeleger ao cargo nas eleições de 2018.
Segundo o repórter Yuri Siva, de O Estado de S.Paulo, na Bahia, o PSDB não só apoia a postulação de José Ronaldo, como ainda indicou um dos pré-candidatos ao Senado da composição, o deputado federal Jutahy Magalhães Jr. Reside justamente nessa aliança, contudo, o principal entrave para a finalização da composição.
Considerado “candidato prioritário” do grupo político, Jutahy tem protagonizado uma batalha contra a presença do deputado federal e também postulante ao cargo de senador, Irmão Lázaro (PSC), na chapa.
O espólio de votos de Lázaro, ligado à igreja Assembleia de Deus e terceiro deputado mais votado da Bahia em 2014, é cobiçada pelo DEM. No entanto, tê-lo na composição é visto pela cúpula do tucanato baiano como um risco ao pré-candidato do PSDB ao Senado. Eles temem que Jutahy acabe sendo engolido pelos votos “fiéis” de Lázaro, que aparece em segundo lugar em

pesquisas internas, atrás apenas do ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner (PT), que tentará se eleger senador na chapa encabeçada por Rui Costa.
Os telefonemas para Geraldo Alckmin, segundo apurou o Estado, são considerados os últimos recursos do DEM para resolver o impasse, que se arrasta a menos de duas semanas da convenção estadual do partido, marcada para 3 de agosto. Além de José Ronaldo, o prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, também conversou com o ex-governador de São Paulo pedindo auxílio.
Segundo um interlocutor de ACM Neto, o apoio dado pelo DEM ao presidenciável do tucano – juntamente com os outros partidos do Centrão – pode ajudar na situação, mas não é garantia de nada. José Ronaldo e ACM Neto esperam, porém, que Alckmin “ajude a resolver” a insatisfação de Jutahy, “convencendo ele a ceder”, nas palavras de um dirigente.
Presidente estadual do PSDB, o deputado federal João Gualberto rejeita a hipótese. Ele afirmou que o plano nacional não influencia no local, já que o apoio do DEM a Alckmin na corrida presidencial aconteceu a reboque das outras legendas que compõem o Centrão – e não por iniciativa própria. “Não acho que existirá alguma interferência, pelo que tenho conversado internamente no partido”, disse.

Comentários

Ir ao topo da página