Aécio nas mãos de Janot e fora da presidência do PSDB

Depois de assistir, na manhã desta quinta-feira, 18, as prisões de sua irmã Andrea e do primo Frederico, Aécio Neves (PSDB) respirou aliviado, pelo menos por enquanto. É que o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de prisão do senador mineiro.

Por ora, Aécio está com passaporte apreendido e proibido de ter contato com outros investigados. Apesar de poder circular pelo Senado Federal, ele não pode participar de sessões ou comissões.

O plenário só avaliará o caso se o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor do pedido, decidir recorrer da decisão de Fachin.

Entre as consequências mais imediatas do caso, está a perda da presidência do partido, que passou a ser disputada pelo senador Tasso Jereissati (CE) e o deputado Carlos Sampaio. A decisão foi na manhã de hoje.

Assim que o senador se afastar, o mais velho dos vice-presidentes da legenda, Alberto Goldman, vai convocar, em 24 horas, eleições para o comando do PSDB.

Comentários

Ir ao topo da página