Governo manda evacuar Esplanada dos Ministérios

O prédio do Ministério da Agricultura foi incendiado por manifestantes que protestam em Brasília pela saída do presidente Michel Temer, em razão as acusações contra ele que vieram a público após a delação do empresário Joesley Batista e outros executivos do grupo JBS.

Manifestantes também tentaram invadir o Ministério da Ciência e Tecnologia. Outros ministérios foram alvos de depredação. Todos os prédios da Esplanada dos Ministérios estão sendo evacuados por questão de segurança. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) deu início a um protocolo que prevê a liberação dos servidores.

Durante o protesto, participantes do ato e Polícia Militar entraram em confronto. Foram disparadas bombas de gás e de efeito moral. A cavalaria da PM chegou a investir contra os manifestantes, que responderam jogando pedras e paus.

Chamado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e pelas centrais sindicais, a manifestação saiu do estádio Mané Garrincha e segue em direção ao Congresso Nacional.

 

O prédio do Ministério da Agricultura foi incendiado por manifestantes que protestam em Brasília pela saída do presidente Michel Temer
Manifestantes em confronto (Foto: Reprodução)

Os organizadores falam em mais de 100 mil pessoas. A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal afirmou que até as 11h30 havia 25 mil manifestantes. O número estimado de ônibus que vieram de outros Estados é entre 500 e 600.

Enquanto isso, dentro do Congresso, deputados da esquerda ocupam a Mesa Diretora da Câmara em protesto contra Michel Temer. Em contra partida, o presidente Michel Temer,  assina um decreto a ordenar a ida das Forças Armadas para as ruas, para manutenção da ordem, no período de 24 de maio a 31 de maio.

A ordem é assinada pelo presidente, pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, e pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen.

[Com informações da Folha, UOL e veja.]

 

Atos do poder executivo
Atos do poder executivo (Foto: Reprodução)

Comentários

Ir ao topo da página