Lava Jato mais perto de Aécio Neves. STF, por unanimidade, torna o senador réu na Operação

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tornou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu na Lava Jato nesta terça-feira (17). Agora, o tucano, que também é alvo de outras oito investigações, responderá a um processo criminal na Corte.

Aécio Neves Lava Jato
Aécio Neves (Foto: reprodução)

De forma unânime, o Supremo aceitou a acusação de corrupção passiva contra o senador. Todos os cinco ministros votaram por aceitar a denúncia: Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Alexandre de Moraes. Já sobre a acusação de obstrução da justiça, o placar foi de 4 a 1 a favor da denúncia, com o ministro Alexandre de Moraes, último a votar, sendo o único voto contrário.

Também são acusados no mesmo processo a irmã de Aécio, Andrea Neves, o primo do senador, Frederico Pacheco de Medeiros, o “Fred”, e o assessor parlamentar Mendherson Souza Lima. O ministro relator Marco Aurélio Mello chegou a desmembrar a denúncia, deixando apenas Aécio com o foro especial, mas a 1ª Turma derrubou a decisão e todos responderão perante o Supremo.

Segundo colocado na última eleição presidencial e ex-presidente nacional do PSDB, Aécio Neves foi gravado pelo empresário Joesley Batista solicitando R$ 2 milhões, que foram pagos em dinheiro vivo a seu primo, Frederico Pacheco de Medeiros, também acusado na denúncia, em ação gravada e monitorada pela Polícia Federal.

Aécio foi acusado na delação da JBS, que também implicou o presidente Michel Temer, o qual teve a denúncia contra si barrada pela Câmara dos Deputados. O acordo de colaboração da JBS foi questionado judicialmente e os delatores Joesley e Wesley Batista foram à prisão por se beneficiarem no mercado financeiro do vazamento da própria delação.

(Conteúdo Joven Pan)

Comentários

Ir ao topo da página