Lula desacata Moro e decide não se entregar na sede da Polícia Federal, em Curitiba

Em entrevista, pelo telefone, na manhã desta sexta-feira (6), ao jornalista Ricardo Kotscho, seu ex-assessor de imprensa, hoje repórter especial da Folha de S.Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a decisão é de não ir a Curitiba para se entregar à Polícia Federal.

Ontem, após o plenário do Supremo Tribunal Federal rejeitar pedido de habeas corpus apresentado pela defesa, o juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou o início da execução da pena do réu e estabeleceu um prazo de até as 17h (horário de Brasília) desta sexta-feira para a apresentação voluntária à Polícia Federal em Curitiba.

Lula passa madruga no sindicato
Lula passa madruga no sindicato (Foto: reprodução)

O líder petista foi condenado, em janeiro, por unanimidade pelos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Na primeira instância, Lula havia sido condenado por Moro a 9 anos e 6 meses de prisão.

A decisão de Moro ocorre antes do fim do prazo para a defesa de Lula apresentar embargos secundários na segunda instância, fixado em 10 de abril. O recurso normalmente é considerado meramente protelatório pelos desembargadores do TRF-4, o que respalda a determinação do cumprimento de pena neste momento.

De acordo com a Folha de S.Paulo, na rápida conversa telefônica desta manhã, Lula disse que estava tranquilo, bem disposto.

A defesa de Lula entrou, nesta sexta-feira, com novo pedido de habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para evitar a prisão. Os advogados alegam antecipação da execução da pena antes da publicação do acórdão do julgamento dos embargos de declaração.

Conforme notícia o site do jornal O Globo, aliados dizem que o mais provável é que Lula espere a PF prendê-lo na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, onde deverá ser montado um corredor humano.

(Com conteúdo da Folha de S.Paulo e Infomoney)

Comentários

Ir ao topo da página