O passado que desmorona mitos e o futuro desesperado

Ao mesmo tempo em que os brasileiros esculhambam, com razão, os políticos por seus atos de corrupção, parte desse mesmo povo vai às manifestações apoiando e sendo apoiado por políticos envolvidos em esquemas ilícitos e imorais.

Não concordo com a política do “rouba mas faz”, pois , esse “fazer” nada mais que é uma obrigação dos dirigentes políticos. Recebem, e recebem bem, em tese , para levar o país, a cidade etc, para os melhores caminhos.

A população precisa se abrir e dar espaço para novas candidaturas e não matá-las antes mesmo de começarem, já não basta a diferença do poder econômico entre nomes tradicionais e que se enriqueceram por meio da política se comparado com novos nomes de menor poder aquisitivo.

Hoje, Lula e Bolsonaro estão à frente das pesquisas presidenciais e boa parte do eleitorado se deixa levar por um passado que desmorona seus mitos ou por um futuro desesperado e angustiado que aposta suas fichas na truculência e na falta de diálogo.

Depois, cobramos do Poder Judiciário uma postura que, por vezes, nós, cidadãos e eleitores não temos. Os verdadeiros juízes somos nós e neste ano e nos próximos podemos começar a mudar esse país, nosso estado , nossa região, nosso município…enfim, para isso, vamos votar com consciência e conhecendo a propostas e a viabilidade das propostas daqueles que se colocam como candidatos.

Vamos juntos olhar pelo coletivo e não para o próprio umbigo, para, quem sabe, construir um país que seja de todos!

Caio Checon é empresário, foi vereador, candidato a prefeito e presidente da Câmara de Teixeira de Freitas.

Comentários

Ir ao topo da página