Defesa civil avalia interditar prédios vizinhos à Prosegur

defesa Civil de Eunápolis vistoria prédios e casas

Depois da ação violenta com ares cinematográficos, prédios vizinhos à Prosegur de Eunápolis, ficaram abalados por causa das explosões na madrugada de terça-feira, 6 . A Defesa Civil da cidade já interditou um imóvel e está avaliando a necessidade de interditar outros.

Na tarde de ontem, 7, uma equipe da Defesa Civil trabalhou na região e vistoriou pontos comerciais e moradias. O risco maior é de desabamento por causa dos abalos causados pelas explosões.

Segundo a Polícia, estima-se que 40 homens fortemente armados com fuzis, granadas e dinamites tenham participado da ação, que durou quase uma hora. Um agente de segurança da empresa morreu.

Como parte do plano para atrasar a chegada da polícia, a quadrilha bloqueou principais pontos de acesso de Eunápolis, para tanto, parte dos criminosos, em um Corolla, rendeu o motorista de uma carreta na BR-101 e tomou o veículo, deixando-o, estrategicamente, atravessado no meio da rodovia, atearam fogo em um carro numa ponte no km 12 da BR-367, em Porto Seguro.

As unidades da Polícia Militar, Rondesp e Caema foram impedidas de agir porque o grupo incendiou carros em frente às suas sedes.

Em nota, a empresa pede cobra mobilização conjunta e lamenta a morte de Elivar Ferreira Madier Sobrinho, 46 anos.

Comentários

Ir ao topo da página