Festa com saúde nos 29 anos. Eunápolis e a história do Km 64

O município que nasceu ao abrigar em choupanas os operários que construíram a estrada de ligação até a rodovia BR 101, na altura do “Km 64”, completa 29 anos de emancipação política nesta sexta-feira, 12. Eunápolis cresceu às margens das rodovias BR 101 e BR 367.

A comemoração será de cunho político-social, com serviços de odontologia e oftalmologia em unidades móveis, montadas na Praça da Bandeira, de hoje, 12, até quinta-feira, 17. Mas, como os serviços não deixam marcas aparentes, essa lacuna vai ser suprida com a inauguração de uma Unidade Básica de Saúde – antes chamados Postos de Saúde – para a população da área rural.

Na história deste lugar, existem algumas peculiaridades. Se hoje Eunápolis é reconhecida pelo seu forte centro comercial, que ainda tem a vantagem de ser o caminho natural para quem vai ao litoral de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, antes da emancipação, quando pertencia a esses dois municípios, chegou a ser considerado o “Maior Povoado do Mundo”, com cerca de 60 mil habitantes.

Nesta época, muita gente da região conhecia o lugar pelo apelido Km 64, que era a distância entre Porto Seguro e o entroncamento da BA-02, onde os primeiros moradores se fixaram, aguardando os profissionais das empreiteiras para a construção das estradas.

O batismo do município tem a ver com esse momento, e é uma homenagem ao engenheiro Eunápio Peltier de Queiróz, secretário estadual de Viação e Obras públicas em 1954, quando adquiriu 100 hectares de terras e doou para a formação do povoado.

 

Em 1967, a primeira agência bancária era do “Banco de Crédito da Bahia”, – que mais tarde foi comprado pelo Bradesco, dando indícios do início da prosperidade local. Hoje em dia, são mais de 114 mil habitantes que constroem a história do 16º município baiano.

Comentários

Ir ao topo da página