Temer não perdoa, demite. A vítima é do Extremo Sul

Temer prometeu e cumpriu. Em sua caça às bruxas particular, listou deputados da base aliada que votaram contra o texto base da Reforma Trabalhista, em 26 de abril, para em seguida responder a essa “traição” com tesouradas afiadas. O alvo no Extremo Sul foi Uldurico Pinto Junior (PV), o parlamentar que ganhou destaque na mídia por ser o mais jovem do país. Ao votar “não”, sobrou para Rubem Zaldivar, indicado por ele, e agora exonerado da cadeira de superintendente do IBAMA na Bahia.

Antes de ir para o IBAMA, Zaldivar foi secretário de meio ambiente em Porto Seguro, durante o governo de Jânio Natal. No Extremo Sul, o parlamentar verdista, diz representar duas regiões, a de Porto Seguro, onde morou durante a adolescência com a mãe Dionée Alencar, e Teixeira de Freitas, onde o seu pai, Uldurico Pinto tem negócios, inclusive uma emissora de rádio onde o rapaz apresentou um quadro popular meses antes de declarar sua candidatura.

Voltando aos votos e a representatividade regional, os outros dois federais da região, Walmir Assunção (PT) e Ronaldo Carletto (PP), dividiram o placar. O petista, assim como toda a sigla, foi contra. Por ser da oposição declarada, não foi considerado infiel. O Carletto, que além de deputado é empresário, obedeceu a orientação da base do Governo e votou sim.

Injusta e permissiva

Logo depois da aprovação do texto base, Temer telefonou para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e agradeceu a mobilização em torno da proposta. Os líderes partidários foram ao gabinete presidencial e comemoraram o resultado, que consideraram satisfatório. A alegria deles não contagiou o presidente, que continuou preocupado com a quantidade dos votantes favoráveis.

Duzentos e noventa e seis votaram sim, o suficiente para esta aprovação, porém menos do que será necessário para a aprovar a Proposta de Emenda Constitucional – PEC, que reforma a Previdência. No caso, Temer precisará de pelo menos 308 deputados do lado dele. Para não correr o risco, ele deflagrou essa ofensiva aos traidores, aplicando cortes corretivos e correndo atrás dos 12 votos que ainda faltam.

Nos últimos dias, Uldurico Junior tem usado as redes sociais para fazer declarações de cunho moral. Para o Extremus21, ele disse que as duas propostas apresentam erros. A primeira por beneficiar o patrão ao empregado, já que “entre as partes não tem acordo, tem exigência”. E, no caso da PEC da Reforma da Previdência, ele considera injusta a permissividade do Governo com bancos e grandes empresas devedoras.

Comentários

Ir ao topo da página