A entrevista do Huck, domingo no Faustão, foi gravada em 11/11

A participação de Luciano Huck e Angélica no “Divã do Faustão”, exibida no domingo passado (7) agitou o mundo político, as redes sociais e os telespectadores do “Domingão”. Huck é ou não é candidato a Presidente da República, se em artigo publicado na Folha de S. Paulo, em 27 de novembro, negou qualquer possibilidade de concorrer?

E tudo foi esclarecido: o quadro foi gravado em 11 de novembro, antes de o apresentador negar que seria candidato à Presidência. O casal de apresentadores foi atração do dominical e, segundo apurou o portal UOL, houve a preocupação de veicular o programa só depois de Huck confirmar que não seria candidato a nenhum cargo em 2018. A participação do casal não foi submetida à direção da emissora.

Huck e Angélica no Faustão. Programa gravado em novembro.

No programa, ele negou novamente que será candidato. “Neste momento, se eu me isentar de tentar melhorar, eu estaria sendo covarde. Daí a eu querer ser presidente, não quero que seja uma pretensão minha e não quero ser pretensioso de maneira nenhuma. O que estou fazendo, e vou continuar fazendo, é tentar mobilizar uma geração inteira, não importa se é de direita ou de esquerda, não acredito mais nisso. E não queria fazer isso pelos partidos políticos, porque eles estão derretendo, temos que ocupar de novo. Optei fazer pelos movimentos cívicos, gente da sociedade civil que está a fim de se juntar para ter ideia e falar ‘quero ser deputado’, ‘quero ser governador’, ‘quero ser senador’, e mobilizar essas pessoas a se lançarem na política para tentar renovar”, explicou.

Apesar da negativa, Huck tornou-se alvo de um processo do PT na Justiça Eleitoral nesta segunda-feira (8). O partido alega que Huck cometeu e se beneficiou de abuso de poder econômico e dos meios de comunicação.

A TV Globo e Fausto Silva também são alvos da representação, assinada pelos líderes do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), e no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ). Eles pedem a inelegibilidade de Huck ou a cassação do seu eventual registro de candidatura, além de pagamento de multa por parte dos apresentadores e da Globo.

Para os petistas, o que se viu durante a entrevista do apresentador “foi a demonização da atual política, dos políticos, dos pré-candidatos ao cargo presidencial, e de forma subliminar, a exaltação da pré-candidatura de Luciano Huck, como sendo algo de novo capaz de mudar a realidade vigente e trazer a ‘felicidade’ esperada pelo sofrido povo brasileiro.”

A emissora se manifestou por meio de sua assessoria de imprensa. “A TV Globo cumpre rigorosamente a legislação eleitoral e tem uma política interna sobre eleições ainda mais rigorosa do que a lei. No período que antecede anos eleitorais, conversamos com diversos profissionais do nosso casting para relembrá-los sobre as regras que, entre outras restrições, impedem que contratados da emissora que desejem se candidatar permaneçam no ar em qualquer programa. A TVG reitera que não apoia qualquer candidato e que se limitará a realizar a cobertura jornalística das eleições de 2018, seguindo as regras de seus princípios editoriais.”

Comentários

Ir ao topo da página