ACM Neto fala de candidatura e conversações com o PP e PR

ACM Neto
ACM Neto

O prefeito ACM Neto reuniu nesta quarta-feira (20/12)  jornalistas da capital e do interior, num almoço de confraternização, onde fez um balanço da sua administração, principalmente o projeto Salvador 360. No momento das perguntas o assunto foi outro: eleições 2018. Os convidados queriam mesmo saber se ele seria candidato ao Governo do Estado. E a primeira pergunta não deixou dúvidas:

Você é candidato a governador?

ACM Neto: Vou responder como respondi à uma funcionária de uma loja num shopping, quando fazia compras para o Natal da minha família. Se eu lhe disser que não sei, você vai acreditar? Ela disse: não! Eu digo: então acredite porque não está decidido ainda. Veja, não é charme da minha parte, não é jogo político da minha parte, de fato essa decisão ainda não foi tomada. Eu havia estabelecido como marco para o início da discussão sobre o futuro político, não apenas meu mas do conjunto de partidos que estão ao nosso lado, a virada do ano e de fato a partir do início do próximo ano.

E continuei: a partir do dia 2 de janeiro nós vamos começar a conversar. Não me peçam e não comecem a me cobrar, sobretudo nas andanças por Salvador, que dia vai ser anunciada uma decisão. Com certeza nenhuma decisão será tomada antes do carnaval. Então, com isso vocês já compreendem que janeiro e fevereiro serão meses de conversa. E eu tenho, é claro, algumas condições que estão sendo elaboradas na minha cabeça, para que eventualmente eu decida deixar a prefeitura. E a primeira condição e mais importante é acreditar que a população de Salvador quer que eu deixe, aceite que eu seja candidato a governador.

E a segunda pergunta continuou no campo da sucessão: Como andam as conversações com o PP e o PR?

“Não adianta especular sobre PP, PR ou outros partidos da base atual de Rui Costa, porque quem me conhece sabe que esse tipo de lance se tiver que acontecer só vai se tornar público na última hora e eu só vou embarcar nisso quanto tiver 100% fechado, se for o caso. Enquanto for especulação, enquanto for hipótese, eu não entro nessa”.

E concluiu: “diálogo com PP em Brasília eu tenho, diálogo com o PR em Brasília eu tenho. Mas não quer dizer que isso se dar em torno de questões ou de compromissos eleitorais pra 2018, na Bahia. Eu fui congressista 10 anos, eu tenho relações amplíssimas. Agora, lá na frente se o PP e se o PR quiserem conversar sobre política, nós estaremos abertos a dialogar. Mas não poderá jamais ser um desejo de mão única, terá que ser um desejo de mão dupla. E por enquanto nós temos muita especulação e eu repito: quem me conhece sabe, um assunto como esse só será tratado quando tiver com o martelo batido e ponta virada, se for o caso.”

Comentários

Ir ao topo da página