Por que o Datafolha silenciou sobre o cenário Lula x Moro?

Qualquer desinformado, ou alienado do mundo político, sabe que pesquisa eleitoral realizada um ano e meio antes das eleições, não garante em nada como vai ser o resultado na “hora do vamos ver”. Apenas sinaliza o momento em que vivemos, principalmente nesses tempos de lava-jato, delação premiada, Odebrecht e principalmente rede social. Mas na pesquisa divulgada no último dia 30, com entrevistas realizadas nos dias 26, 27 e 28 de abril pelo Datafolha (hoje o Instituto mais competente e sério deste país), um cenário novo chamou a nossa atenção, apesar de não ter recebido o devido destaque, tampouco levado em questão pela própria Folha de São Paulo e seu portal UOL. Eles se preocuparam em falar do crescimento de Lula e Bolsonaro. Veja o título da matéria: Lula amplia liderança para 2018, e Bolsonaro chega a 2°, diz Datafolha.

Voto pra todo mundo

No cenário de primeiro turno, com um sem número de nomes, Lula aparece com 29% das intenções, em segundo lugar empatados, Marina Silva e Bolsonaro, com 11%, o juiz Moro em terceiro com 9%, em quarto empatados Aécio Neves, João Dória, o juiz Joaquim Barbosa e Ciro Gomes, todos com 5%, e no quinto lugar, também empatados, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o apresentador de TV, Luciano Huck , juntos com 3% cada. Até aí tudo normal, dentro do esperado. Mas, quando a pesquisa abre os questionários para saber em quem o brasileiro realmente vota no segundo turno, o chamado jogo cara a cara, um contra o outro, a coisa muda e surge um sinal novo no cenário.

O novo da pesquisa

E vamos para o 2° turno. No primeiro cenário apresentado, repetiram 2006, Lula x Alckmin (43 a 29), com Aécio aumenta a diferença – 43 a 27 e com Bolsonaro ganha também com 43% contra 31 do capitão. Quando o Instituto apresenta Lula contra Marina, o resultado inverte e ela ganha para o líder petista de 41 a 38, apesar da candidata da Rede estar em queda, explicada pelo seu silêncio frente as denúncias da Lava Jato. Até aí tudo certo, como dois e dois são cinco, se não fosse o resultado do segundo turno entre Lula e o juiz Moro, nome testado pela primeira vez. Moro, 42% e Lula 40% das intenções de votos. E fica a pergunta para a editoria de política da Folha: por que você não foi dado o destaque devido a esse resultado, que é o fato verdadeiramente novo da pesquisa?

Comentários

Ir ao topo da página