Foi uma vitória particular de Tite e Willian

Tite não desiste fácil de jogador. E isso não é de hoje. Vem desde os tempos de Grêmio, Internacional, Corinthians… A persistência do treinador em Willian garantiu à seleção brasileira a classificação às quartas de final da Copa. O meia do Chelsea foi o melhor jogador na vitória por 2 a 0 sobre o México, em Samara. Assim, Raphael Ramos, chefe de reportagem de Esportes do jornal O Estado de S.Paulo, em uma análise suscinta, resumiu a vitória brasileira na tarde desta segunda-feira (02/07). Leia abaixo o artigo do jornalista.
Willian, até esta segunda-feira, não fazia uma boa Copa do Mundo. Isolado na ponta direita do ataque brasileiro, o jogador mal pegava na bola e pouco participou nas partidas contra Suíça, Costa Rica e Sérvia. Diante do México, a história foi bem diferente.
Confiante, Willian partiu para cima dos mexicanos sem medo. Fez jus ao apelido de “Foguetinho” que recebeu de Tite. Hábil e veloz, bagunçou o sistema defensivo do México montado pelo bom estrategista Juan Carlos Osorio e abriu caminho para o gol de Neymar.
Humilde, Willian admitiu que não estava bem e poderia jogar mais. Curiosamente, a primeira grande atuação do meia nesta Copa ocorreu em Samara, cidade que construiu o primeiro foguete a ir ao espaço.
A força do elenco brasileiro ficou comprovada nesta segunda-feira. Se Philippe Coutinho, que era até então o destaque isolado da seleção, não esteve em um dia inspirado, coube a Willian assumir o protagonismo diante do México.
Tite não insistiu em Willian por acaso. Desde o dia em que o treinador assumiu o comando da seleção, em 2016, o meia do Chelsea tem sido um dos jogadores mais regulares desta trajetória. Se nas Eliminatórias ele brigava por um lugar no time com Coutinho, agora é titular absoluto.
Outro jogador que Tite tem insistido é Gabriel Jesus. O centroavante ainda não marcou nenhum gol na Copa, mas tem sido muito importante taticamente para equipe. Está com pinta que vai acabar com o jejum logo.

Comentários

Ir ao topo da página