Por votos anti-PT, Ciro prioriza Rio e São Paulo

Ciro nas ruas de Osasco (SP). Foto G1 - Tatiana Santiago.

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) focou sua agenda em São Paulo e no Rio de Janeiro no primeiro mês oficial de campanha e está agora começando a aparecer nas propagandas de TV e rádio de candidatos do partido aos governos. A estratégia é impulsionar o nome do ex-governador para conquistar votos de eleitores da centro-esquerda e até antipetistas e permanecer colado em Fernando Haddad (PT)nas pesquisas eleitorais.
No último Datafolha, divulgado na sexta-feira (14), o pedetista e o petista têm 13% das intenções de voto. No Sudeste, Ciro está tecnicamente empatado com Haddad, mas numericamente na frente com 12% de intenções de voto, enquanto o petista tem 10%. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Em um mês de campanha, Ciro visitou São Paulo em 14 dias e passou pelo Rio de Janeiro em outros quatro. O estado de SP é o maior colégio eleitoral do país, com 33 milhões, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Já o Rio tem mais de 12 milhões de eleitores. O Brasil tem 147 milhões de cidadãos aptos a votar.
Segundo Carlos Lupi, presidente do PDT e um dos coordenadores da campanha de Ciro, a ideia é se aproveitar da base maior de “rejeição a Haddad no Sudeste”. “O desafio é conseguir os votos que não são petistas e lulistas, mas ter voto dessa base que gosta de PT”, além de atrair, sem ser de direita, “quem não gosta do PT.” *Com informações UOL.

Comentários

Prefeita e vice de Jucuruçu são cassados - caixa 2

Foto: Reprodução Facebook.

A prefeita de Jucuruçu, Uberlândia Pereira (PSD), e seu vice Erley Fernandes (PSL) foram cassados, por prática de caixa 2 nas eleições de 2016, e devem ficar inelegíveis por oito anos, determinou o juiz Rodrigo Quadros de Carvalho, da 172ª Zona Eleitoral, de Itamaraju.
Em representação, o Ministério Público Eleitoral alegou que a dupla omitiu despesas e receitas e descumpriu o limite de gastos determinado pela legislação.
O magistrado entendeu que o acervo probatório foi suficiente para comprovar o caixa 2, além de despesas não declaradas à Justiça Eleitoral efetivadas na empresa Silva & Salomão Ltda.
“A omissão nos gastos com combustíveis, sobretudo na proporção encontrada nos autos, configura ilícito eleitoral apto a justificar o manuseio de representação eleitoral”, escreveu o juiz.
O magistrado também apontou a juntada de recibo eleitoral “inautêntico” e nota fiscal depois da eleição, apenas para “esquentar” a despesa efetuada.
*Conteúdo bahia.ba – Rodrigo Aguiar

Comentários

De olho no 2° turno, Haddad nega indulto Lula

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), afirmou nesta terça-feira, 18, que não vai dar indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato. “Lula é o primeiro a dizer que não quer favor, quer reconhecimento do erro do Judiciário”. Pressionado, Haddad, pela primeira vez, negou: “Não. Não ao indulto”, disse, em entrevista à Rádio CBN e ao portal G1.
Mesmo que fosse o desejo de um novo presidente da República, Lula tem o caminho para receber um indulto atualmente impedido por quatro pontos de uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em março, Barroso tornou sem efeito quatro pontos do decreto de indulto de Natal assinado pelo presidente Michel Temer, em 2017. A decisão de Barroso é liminar e ainda precisa ser referendada pelo plenário do Supremo. Neste caso o colegiado da Corte decidirá sobre o mérito do caso, confirmando ou não o entendimento do ministro. Para tanto, a questão deve ser pautada pelo presidente do STF, Dias Toffoli. Questionado se colocaria Lula em um ministério, Haddad desconversou. “Acho essa pergunta muito pequena para um cara da estatura do Lula. Ele só aceitou ser ministro da Casa Civil (em 2016) porque estávamos prevendo que um golpe de Estado aconteceria como aconteceu”, disse, em relação ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. *Com informações da CBN, G1 e Estadão.

Comentários

TSE define urna eletrônica com 13 candidatos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fechou nesta segunda-feira (17/09) o sistema de registro de candidaturas à presidência da República que será inserido nas urnas eletrônicas para a votação no primeiro turno das eleições, que será realizado no dia 7 de outubro. Com a medida, ficam confirmados os nomes de 13 candidatos à presidência da República e seus respectivos vices que tiveram os registros aceitos pelo tribunal.
O nome do candidato Fernando Haddad (PT) e sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), foram considerados aptos para inserção nas urnas, apesar de o registro de candidatura ainda não ter sido julgado pela Corte. Haddad teve o nome confirmado pelo PT após o TSE barrar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
De acordo com o TSE, os dados dos presidenciáveis são enviados aos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), que serão responsáveis pelo carregamento das urnas com os dados de todos que vão participar do pleito. Os tribunais locais também vão inserir as informações dos candidatos aos governos estaduais, deputados estaduais, federais e senadores. *Com informações Agência Brasil/ André Richter

Comentários

Beto Richa é preso, e Lava Jato chega a Salvador

O ex-governador do Paraná e candidato ao Senado Beto Richa (PSDB), sua mulher Fernanda Richa e seu ex-chefe de gabinete Deonilson Roldo foram presos nesta terça-feira, 11. As ordens de prisão são da Justiça do Estado e foram cumpridas pelo Gaeco, do Ministério Público do Paraná.
O casal será levado para o Gaeco. A investigação está ligada ao Programa Patrulha do Campo.
Além desta ofensiva, aliados de Beto Richa foram alvo de mandados da Justiça Federal do Paraná. Também nesta terça, Deonilson Roldo foi alvo de um mandado de prisão da Operação Lava Jato. A Polícia Federal deflagrou a Operação Piloto nos estados da Bahia, de São Paulo e do Paraná.
Aproximadamente 180 policiais federais cumprem 36 ordens judicias nas cidades de Salvador/BA, São Paulo/SP, Lupianópolis/PR, Colombo/PR e Curitiba/PR.
Em nota, a PF informou que a investigação mira suposto pagamento milionário de vantagem indevida, em 2014, pelo Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht, o departamento de propina da empreiteira, para agentes públicos e privados no Estado Paraná. Segundo os investigadores, a contrapartida seria um possível direcionamento do processo licitatório para investimento na duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.
As condutas investigadas podem configurar os delitos de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro.
O nome dado à operação policial remete a codinome atribuído pela Odebrecht em seus controles de repasses de pagamentos indevidos a um investigado nesta operação policial.
Os presos serão levados à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR onde permanecerão à disposição da Justiça.
Discriminação dos mandados judiciais da PF:
SALVADOR/BA
01 mandado de busca e apreensão
SÃO PAULO/SP
01 mandado de busca e apreensão
PARANÁ/PR
LUPIANÓPOLIS/PR
02 mandados de busca e apreensão
COLOMBO/PR
01 mandado de busca e apreensão
CURITIBA/PR
28 mandados de busca e apreensão
02 mandados de prisão preventiva
01 mandado de prisão temporária
*Com informações de do blog de Fausto Macedo/Estadão

Comentários

Marina Silva é acusada de "furar fila" em Salvador

Foto Luana Oliveira (G1)

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, envolveu-se em uma confusão em visita a Salvador, nesta segunda-feira, 10/09, após correligionários e agentes da Polícia Federal tentarem furar a fila para embarcar no Plano Inclinado Liberdade/Calçada, bonde que liga o bairro mais negro da capital baiana, berço do bloco afro Ilê Aiyê, à região da Cidade Baixa.
A atitude provocou reclamações de pessoas que esperavam na fila para se locomover na cidade. Os cidadãos começaram a gritar em direção à comitiva da presidenciável da Rede, que seguia para um vagão especial reservado para seu grupo político, segundo coordenadores do partido na Bahia, por questões de segurança.
Quando percebeu a confusão, a candidata à Presidência da República criticou auxiliares que a cercavam, como a ex-deputada Heloísa Helena e a candidata da Rede ao governo da Bahia, Célia Sacramento. “Eu disse que eu não queria fazer isso”, disse ela, irritada. Na sequência, dirigiu-se às pessoas que esperavam na fila para pedir desculpas pela situação.
Momentos antes, preocupada com as reações, Marina já havia perguntado a auxiliares se a comitiva estava passando na frente das pessoas que esperavam na fila, mas recebeu uma negativa e seguiu adiante, guiada por agentes da PF. Após perceber a gafe, a presidenciável retornou ao final da fila e embarcou no Plano Inclinado ao lado dos eleitores, conversando e tirando fotos com eles.

Três agentes da Polícia Federal visitaram na manhã e tarde do domingo (9), o roteiro de campanha que a presidenciável da Rede faz em Salvador nesta segunda-feira. Eles foram acompanhados de dirigentes da Rede da Bahia, que receberam orientação de evitar locais com aglomeração de pessoas.
De acordo com aliados de Marina, a segurança da presidenciável não foi alterada após o atentado contra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na quinta-feira (6/9), em Juiz de Fora (MG).
A única alteração foi a supressão de agenda no bairro de Canabrava, periferia da capital baiana. Segundo a coordenadora da Rede na Bahia, Iaraci Dias, a mudança não teve relação com questões de segurança, mas com o horário do voo de Marina. Todos esses locais, além do Hotel Sheraton, onde a presidenciável de Rede está hospedada, foram inspecionados pelos agentes da PF. O trabalho durou boa parte do domingo, entre 10h e 17h.
*Conteúdo Estadão – Yuri Silva

Comentários

Ir ao topo da página